Ateliê Arte Lavrinha

postal-luciano3
postal-luciano3

PinturaEderson
PinturaEderson

Pintura%2018_edited
Pintura%2018_edited

postal-luciano3
postal-luciano3

1/24
Pintura%20LavrinhaWhatsApp%20Image%20201
Pintura%20LavrinhaWhatsApp%20Image%20201

DSC_5346
DSC_5346

Pintura%20LavrinhaWhatsApp%20Image%20201
Pintura%20LavrinhaWhatsApp%20Image%20201

Pintura%20LavrinhaWhatsApp%20Image%20201
Pintura%20LavrinhaWhatsApp%20Image%20201

1/25
20191025_151242_edited
20191025_151242_edited

atelie 5
atelie 5

Ave Lavrinha Pintores Especiais4
Ave Lavrinha Pintores Especiais4

20191025_151242_edited
20191025_151242_edited

1/37

"Dona Maria Lúcia foi uma pessoa importante, com a firmeza que ela tem nas palavras... Eu já tinha falado com a dona Maria Lúcia, conversado algumas coisas: “Eu vou te falar um negócio: tem uma amiga minha (a Nietta), ela tem uma vontade de dar uma ajuda pra APAE. Será que eu posso trazer ela aqui?”. Aí fomos lá. Aí elas conversaram. A Nietta com aquele olhar dela pedagógico. A Maria Lúcia também. As duas se identificaram. Então aí criou-se essa parceria. Aí foi quando a gente iniciou esse trabalho. Isso foi em outubro de 2009...”

(Deni Carvalho, 2017)

Com o nome de "Pintando a Natureza", a Associação Ave Lavrinha promove semanalmente, desde 2009, ação de arte-educação durante todas as tardes de quinta-feira, com foco nas artes plásticas e visuais. Atende-se a jovens e adultos, homens e mulheres, portadores de necessidades educacionais especiais, moradores de Bocaina de Minas, Santo Antônio do Rio Grande e Liberdade. A reunião da arte, educação e meio ambiente com finalidade  psicoterapêutica e social, permite a convivência afetuosa, a observação e interação  com o espaço lúdico e exuberante da fazenda e sua população local. Estes estão envolvidos nas atividades, como instrutores e colaboradores, visando à inclusão e à cidadania de todos.

 

Incentiva-se à livre experimentação do desenho e da pintura e da modelagem em argila, para a representação de temas da observação cotidiana, do imaginário e do inconsciente, sobre suportes variados- papel, tela, madeira, tecido, argila, assim como elementos da natureza local - e materiais como tinta acrílica, ou pigmento natural, guache, lápis de cor, pastel, cera. O material é doado pelos amigos ou adquiridos no comércio da região.

 

O grupo responsável é capitaneado pelo artista local Deni Cláudio de Carvalho com apoio de instrutores das  APAEs e da educadora Regina Cunha e Lillian Salgado,  sob a coordenação de Nietta Lindenberg do Monte. Para alimentar o processos de aperfeiçoamento e avaliação, alguns cursos de capacitação em pintura, desenho e historia da arte são oferecidos, ano a ano, pelos artistas, Dulce Maia, Bárbara Martinoya Vicuna e Elias Fajardo. Parte dos resultados produzidos são emoldurados e apresentados nas casas da fazenda, na sede da APAE e em exposições.

O “ateliê Arte Lavrinha”, também conhecido como “escolinha da Lavrinha”, esteve localizado por seis anos, de outubro 2009 a agosto de 2015, em pequeno e improvisado espaço no porão da casa sede da RPPN Ave Lavrinha.  Em 2016, foi inaugurado um novo espaço, o “Ateliê Arte Lavrinha”, de cerca de 300  metros quadrados. O edifício conta com duas casas geminadas e dois pisos, com total acessibilidade para pessoas com deficiência motora, garantida por duas rampas e pela adequação às normas técnicas. Possui quatro grandes salas: uma destinada às aulas (o ateliê propriamente dito), outra que é cozinha e refeitório, um salão para exposições e apresentações culturais e um salão para estudos e documentação, reunida em biblioteca e mapoteca. Conta ainda com quatro banheiros (dois deles adaptados), além de dois espaços no subsolo, construído para atividades da futura oficina de marcenaria, além de um quarto de almoxarifado. Com projeto arquitetônico de Valdo Felinto, as obras do ateliê ficaram sob a responsabilidade executiva do engenheiro Alexandre Armondi e de sua equipe.